É melhor pagar o IPTU e o IPVA à vista ou parcelado? | Phi Investimentos

É melhor pagar o IPTU e o IPVA à vista ou parcelado?

É melhor pagar o IPTU e o IPVA à vista ou parcelado?

Por TORO Investimentos
Autores: André Chede e Mehanna Mehanna
Data: 23/01/14

É melhor pagar o IPTU e o IPVA à vista ou parcelado?

O ano novo inicia, e logo começam a chegar os boletos para pagamento do IPTU e IPVA. O primeiro Imposto incide sobre as moradias urbanas e é Municipal, enquanto o segundo é sobre veículos automotores e é de responsabilidade do Estado. Na grande maioria das localidades do Brasil, oferece-se ao contribuinte a possibilidade de pagamento à vista com desconto ou parcelado sem desconto. Pode parecer uma pergunta obvia, mas a grande maioria dos brasileiros não consegue responder com precisão: vale a pena pagar à vista ou parcelado?

Utilizando exemplos com base nas condições oferecidas para as pessoas domiciliadas em Curitiba/PR, que são similares a outras encontradas pelo país, você entenderá qual a melhor decisão a ser tomada.

  • IPTU – O pagamento do IPTU à vista gera uma bonificação de 6% sobre o valor, enquanto se for parcelado o imposto é dividido em 10 parcelas iguais. Em um exemplo fictício, se o seu IPTU é de R$2.000,00 será o oferecido a possibilidade de pagar de uma vez R$1.880,00 ou 10 vezes de R$200,00 por mês. Por meio de um cálculo, que pode ser feito através de uma calculadora financeira ou planilha de Excel, é possível chegar-se a conclusão que existe um desconto equivalente à 1,14% ao mês para o pagamento à vista.
  • IPVA – No caso do IPVA, o pagamento à vista diminui em 5% o valor total, ou é possível parcelar em 5 vezes iguais sem juros. Em novo exemplo, se o seu IPVA for de R$1.000,00 será possível pagar à vista R$950,00 ou em 5 cotas de R$200,00. Neste caso o cálculo determina que a o desconto é ainda maior: 1,73% ao mês.

                Caso os gastos nas férias e festas de final de ano tenham consumido suas economias, o que fazer: vale a pena utilizar meus limites de cartão de crédito e cheque especial para pagar à vista? A resposta é não, de maneira alguma. Os juros mensais praticados nessas modalidades de crédito são muito superiores ao do desconto oferecido nos impostos.

Por outro lado, considerando que você tenha dinheiro aplicado em produtos de Renda Fixa com alta liquidez, tais como: poupança, fundos DI, ou CDB, a sua taxa líquida de retorno nesses investimentos varia de 0,50% à 0,75% ao mês. Como a rentabilidade dessas aplicações é metade ou até um terço do valor do desconto, é simples concluir que tendo disponibilidade financeira, a melhor opção é resgatar os investimentos e efetuar o pagamento à vista desses tributos, visto que o desconto é superior a sua rentabilidade nessas aplicações.

E, além de pensar no bolso, também devemos considerar a praticidade de fazer apenas um pagamento ao invés de 5 ou 10. Isso nos ajuda a poupar tempo (que é dinheiro) e facilita a organização financeira. Calcule, pesquise, compare. Esteja bem informado para tomar as decisões da sua vida financeira, afinal, “conhecimento rende sempre os melhores juros” (Benjamin Franklin).

Sobre os autores:

André Alvarenga Chede, CFP®

Engenheiro de Produção pela PUCPR, pós-graduado em MBA Finanças Empresarias pela UP, habilitado pela ANCORD como Agente Autônomo de Investimento, aprovado no PQO da BM&FBovespa, autorizado pela ANBIMA no CPA-20, corretor de Seguros de Vida e Previdência pela SUSEP, e Planejador Financeiro certificado internacionalmente com o CFP® (Certified Financial Planner) pelo IBCPF. É sócio-fundador da TORO Investimentos e atua como profissional no Mercado Financeiro desde 2008. Professor e palestrante de cursos e palestras sobre Finanças Pessoais, Bolsa de Valores, Tesouro Direto e Fundos Imobiliários.

Mehanna Mehanna

Cursou Engenharia Mecatrônica e de Produção na PUC/PR e Economia na UFPR. Atuando em instituições financeiras se destacou como operador, investidor e palestrante. É sócio-fundador da TORO Investimentos, empresa reconhecida no mercado paranaense. Como palestrante de educação financeira, ministrou mais de 50 cursos e 200 palestras pelo Brasil capacitando 5000 pessoas. Aborda temas relacionados à conjuntura econômica, finanças e investimentos, empreendedorismo e mercado de capitais. É colunista da Revista ADVNF e criador do site VMF – Vídeos do Mercado Financeiro.

Related posts

InvestSim: 1º Simpósio de investimentos debate as principais oportunidades em investimentos no Brasil

Realizado nesta segunda-feira, 03, pela PHI Investimentos em parceria da Guide Investimentos, o  I° Simpósio de Investimentos do Paraná – INVESTSIM reuniu em um único dia, 500 participantes e 15 palestrantes de destaque no mercado financeiro nacional que juntos são responsáveis pela gestão de mais de R$100 bilhões. O...

Read More

Qual é o valor mínimo para investir?

Um dos maiores mitos sobre investimentos é a ideia de que é necessário ter uma grande quantia de dinheiro sobrando para começar a investir. Porém, é possível sair da poupança e aprofundar-se no mundo dos investimentos com muito pouco. Uma das principais dúvidas de investidores iniciantes é quanto ao valor...

Read More

Give a Reply