BLOG

Investir no exterior: descubra como investir em fundos internacionais

Publicado em
Está pensando em investir no exterior? Conheça todas as características dos fundos de investimento internacionais e descubra se essa é a melhor opção para variar a sua carteira.
Investir no exterior: descubra como investir em fundos internacionais

Os números não mentem: nos primeiros três meses de 2021, a quantidade de brasileiros que investiu em ações no exterior já foi equivalente à metade do número total de 2020. Consequentemente, subiu também a quantidade de investidores em fundos de investimento internacionais. Do fim de 2020 até abril deste ano, o aumento foi de 70%.

Esses dados são a prova de que investir no exterior é uma possibilidade cada vez mais acessível e, devido a condição da economia brasileira, muitos investidores têm buscado investimentos internacionais para diversificar a carteira. Afinal, quanto mais diversa ela for, mais protegido estará o seu capital.

Mas, antes de realizar qualquer novo investimento, é fundamental estudar suas características e verificar se ele é o ideal para seu perfil de investidor. Por essa razão, a seguir você encontra tudo o que precisa saber antes de investir em fundos de investimento internacionais.

O que é fundo internacional?

Se você está se perguntando o que é fundo internacional, a resposta é simples. Os fundos internacionais são aplicações cujo rendimento está diretamente relacionado a uma moeda estrangeira. Assim como os fundos nacionais, eles também precisam de um gestor e os investidores são cotistas.

Ou seja: um fundo internacional é uma carteira teórica de investimentos, atrelada a ativos negociados no exterior. Essa é uma das formas mais simples de investir no exterior, já que você aplica em real e não na moeda estrangeira. Sendo assim, a tributação ocorre da mesma forma que no Brasil, a diferença é a alteração na alíquota.

 

Ciclo de Palestras Phi Investimentos: Fundos internacionais com Paulo Dale, Dahlia Capital

Descubra mais detalhes sobre investimentos internacionais no recente Webinar promovido pela Phi Investimentos com a participação de Paulo Dale da Dahlia Capital.

 

Como funciona na prática?

Após reunir capital de um grupo de investidores com o mesmo perfil, o administrador do fundo tem autonomia para definir os melhores investimentos, visando a melhor rentabilidade possível. Porém, é importante ressaltar que essas movimentações devem seguir regras, levando sempre em consideração o perfil e os objetivos do grupo.

 

Quais são os tipos de fundos de investimento internacionais?

Existem 3 principais tipos de fundos de investimento internacionais. São eles: fundo de renda fixa, fundo de renda variável e fundo cambial.

Fundo de renda fixa

Os fundos de renda fixa, como o nome sugere, são aqueles onde o patrimônio dos investidores é investido principalmente em ativos de renda fixa. Isso inclui a compra e venda de títulos públicos, debêntures, entre outros.

Essa é a opção mais conservadora da lista, já que geralmente os investimentos estão relacionados ao CDI, que se mantém protegido da variação cambial.

Fundo de renda variável

Os fundos de renda variável são aqueles onde a carteira é voltada especialmente para ativos que não possuem rentabilidade definida. Nesse caso, se encaixam as ações e títulos dos Exchange Traded Funds (ETFs), por exemplo.

Como você já deve imaginar, eles são voltados para um público com perfil moderado e arrojado. Afinal, são imprevisíveis e a única forma de ter uma ideia de quanto esse fundo vai render, é estudando o histórico do último ano e acompanhando a economia global.

Fundo cambial

Em um fundo cambial, o patrimônio é voltado para a compra e venda de uma moeda estrangeira, sendo que o dólar americano é o mais popular. Por depender de inúmeros fatores que influenciam a economia brasileira e a do país que emite a moeda em questão, esse é o fundo mais difícil de prever resultados. Justamente por essa razão, é indicado para investidores arrojados.

Fundo para ficar de olho em 2021

Está pensando em investir no exterior? Os fundos de investimento abaixo são opções interessantes, com aplicação mínima de R$100,00 a R$500,00 e que vale a pena ficar atento.

 

  • Goldman Sachs Emerging Market Corporate Bonds Avisory FIC FIM CP IE: fundo internacional de renda fixa, com aplicação mínima de R$500,00;
  • Oaktree Global Credit FIC FIM IE: fundo internacional de renda fixa, com aplicação mínima de R$500,00 e rentabilidade de 2,5% ao ano;
  • Wellington Ventura 30 Advisory FIA IE: fundo internacional de ações, com aplicação mínima de R$500,00 e rentabilidade de 8,09% ao ano;
  • Selection Ações Globais FIC FIA IE: fundo internacional de ações, com aplicação mínima de R$100,00 e rentabilidade de 7,35% ao ano;
  • Selection Mult Internacional FIC FIM IE: Fundo internacional multiestratégia, com aplicação mínima de R$100,00 e rentabilidade de 2,82% ao ano.

Quais são as vantagens dos fundos de investimento internacionais?

Além de ser uma excelente opção para quem deseja diversificar a carteira, os fundos internacionais são indicados para quem busca por uma rentabilidade maior, visando sempre o longo prazo. Mas isso não é tudo! Além de estarem cada vez mais acessíveis, os fundos de investimento internacionais também possuem taxas atraentes, com juros baixos.

Para você ter uma ideia, em 2016 a taxa de juros era de 14% ao ano. Com isso, o investimento mais procurado pelos brasileiros era o CDI. Porém, essa taxa começou a cair 2% ao ano e a previsão é de que termine 2021 próximo a 5,50%.

Quais são as desvantagens de investir no exterior?

Como em qualquer outro investimento, existem riscos em investir em fundos internacionais. Porém, além dos tradicionais, como mercado, crédito e liquidez, quando você investe no exterior, está expondo seu patrimônio a outra economia.

Por essa razão, é fundamental ter cuidado ao escolher o país de destino, para estar protegido contra possíveis prejuízos. Isso nos leva ao próximo tópico.

Por que é importante contar com uma corretora?

Ainda é comum encontrar pessoas que fiquem em dúvida sobre investir com o banco ou com uma corretora. Se você deseja investir em um CDB ou em fundos tradicionais, o banco pode ser uma escolha válida. Porém, investir no exterior é um pouco mais complicado e por essa razão, é importante contar com uma corretora.

Somente uma empresa especialista no assunto poderá te ajudar a analisar as melhores opções de acordo com o seu perfil de investidor e suas expectativas. Sem falar que uma boa corretora, também evita que você cometa qualquer erro que possa levar a ilegalidade. Ou seja: escolher um fundo de investimento internacional não é uma tarefa fácil, mas se você estudar bastante e escolher uma corretora de confiança, pode ter certeza que os resultados vão aparecer.

Gostou desse conteúdo e deseja aprender mais sobre investimentos? Clique aqui e confira o nosso blog.

COMPARTILHAR
VEJA TAMBÉM
Dicas
27/06/2022

O único almoço grátis em investimentos

Educação financeira
22/06/2022

Com dificuldades para manejar seus investimentos?

Educação financeira
16/06/2022

Como identificar boas oportunidades de investimento?

Educação financeira
14/06/2022

O que é um planejamento matrimonial?

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.